top of page
  • Foto do escritorMaqnelson John Deere

A agricultura irrigada representa aproximadamente 40% da produção de alimento do mundo



No dia 15 de junho foi comemorado o Dia da Agricultura Irrigada. A data foi instituída com a finalidade de criar uma postura crítica e ativa em relação à importância da agricultura irrigada para a produção sustentável de alimentos, contribuindo para a segurança alimentar, econômica e ambiental do Brasil.


A irrigação é a base de toda a agricultura irrigada. Talvez ela seja a tecnologia mais antiga utilizada na produção de alimentos. Há cerca de seis mil anos, na Mesopotâmia, região que hoje compreende o Iraque e parte do que é chamado Crescente Fértil, colonos construíram canais e desviaram a água do Rio Eufrates para suas plantações, iniciando a prática da irrigação.


A irrigação transformou a terra e a sociedade como nenhuma outra atividade tinha proporcionado até então. Aquela ação viabilizou uma produção confiável de alimentos e possibilitou que parte das pessoas pudesse trabalhar em atividades diferentes da agricultura.


Segurança alimentar e hídrica estão no centro das maiores preocupações da sociedade na atualidade. Produzir alimento demanda quantidades significativas de água. Em um cenário onde o clima é cada vez mais incerto, a produção de alimentos em agricultura de sequeiro, aquela que depende apenas da água da chuva, é cada vez mais incerta. Nesse contexto, a irrigação torna-se cada vez mais estratégica para trazer sustentabilidade e estabilidade na produção de alimentos.


Nesse cenário de incertezas na produção de alimentos, onde a irrigação, principal usuária de recursos hídricos, é peça chave, tem-se o desafio de equacionar a alocação de água entre os diversos usuários. Se alimento é uma pauta importante para a sociedade, tem-se que avaliar as prioridades do uso da água, em um país que detém cerca de 12% da água doce superficial disponível no Planeta e 28% da disponibilidade nas Américas, onde a água se tornou um fator limitante para o desenvolvimento econômico do país e fonte de conflitos em várias regiões.


A agricultura irrigada representa 17% da agricultura e produz aproximadamente 40% da produção de alimento do mundo. A importância da agricultura irrigada fica mais evidente se for levado em consideração que existe uma limitação física para o crescimento da agricultura de sequeiro, o que indica que, no futuro, a produção de alimentos será cada vez mais dependente da agricultura irrigada.


Água e energia são insumos básicos da agricultura irrigada. Para que seu crescimento seja sustentável, é fundamental considerar as desigualdades hídricas regionais e ter um olhar diferenciado para as bacias hidrográficas críticas, onde a disponibilidade hídrica já está comprometida, assim como onde já é realidade a ocorrência de conflitos pelo uso da água.


As pesquisas em recursos hídricos devem incorporar uma visão sistêmica do sistema hídrico, onde o curso d´água, em sua qualidade e quantidade, é reflexo das atividades que ocorrem na bacia como um todo. O desafio está em desenvolver conhecimentos que direcionem soluções, que, por sua vez, visem, principalmente, compatibilizar produção de alimento, fibras e energia ao uso múltiplo e sustentável de recursos hídricos.


Atualmente, existe uma grande preocupação em torno do meio ambiente e com a necessidade de se produzir alimentos em qualidade e quantidade suficientes para suprir as crescentes demandas. A agricultura irrigada tem um papel importante a desempenhar em relação a esses dois aspectos e cabe a nós criar medidas que possam viabilizar o seu crescimento de forma sustentável.


A cada dia o fortalecimento da agricultura irrigada se mostra um imperativo para segurança na produção de alimentos, fibras e energéticos no mundo, devendo estar perfeitamente alinhada com a política agrícola e ambiental do País, sendo ambientalmente sustentável, economicamente viável e socialmente justa.


A agricultura irrigada é uma agenda estratégica para a redução da fome, da pobreza, das desigualdades sociais e para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do Brasil, sobretudo das regiões mais pobres da zona rural brasileira.


A atenção ao tema reforça a conscientizar a sociedade sobre a importância estratégica dessa tecnologia.


Conteúdo: Embrapa Cerrados - Lineu Neiva Rodrigues – pesquisador e chefe adjunto de pesquisa e Desenvolvimento.

15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page