top of page
  • Foto do escritorMaqnelson John Deere

Parceria entre Brasil e China aprova novos drones para pulverização agrícola

Cooperação entre as autoridades de aviação dos dois países traz para o Brasil um dos maiores fabricantes de drones agrícolas do mundo



Em dezembro de 2023, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) concedeu aprovação a três inovadores modelos chineses de drones destinados à pulverização agrícola no Brasil.


Produzidos pela renomada empresa chinesa DJI, líder global na fabricação desses dispositivos, os projetos aprovados não apenas facilitam a introdução de novos modelos no país, mas também fortalecem os laços de colaboração na área da aviação entre o Brasil e a China.


A parceria entre as nações no setor da aviação vem sendo mantida desde 2011, respaldada por um Memorando de Entendimento e um Procedimento de Implementação Técnica. A Civil Aviation Administration of China (CAAC), órgão chinês de aviação civil, desempenha um papel crucial como parceiro de cooperação da ANAC.


Atualmente, as duas autoridades de aviação civil trabalham em conjunto na revisão de procedimentos de implementação técnica, visando modernizar e otimizar ferramentas de trabalho, bem como expandir o reconhecimento mútuo entre a ANAC e a CAAC.


Os modelos chineses aprovados pela ANAC são os seguintes:


Todos os modelos foram autorizados a operar a 120 metros acima do nível do solo, com um alcance de até 1.000 metros para operações em linha de visada visual (VLOS) ou visual estendida (EVLOS). A comercialização desses equipamentos será conduzida diretamente pelo fabricante no país.


A aprovação dos drones de pulverização agrícola pela ANAC representa um processo de certificação voluntária de projetos, visando promover um diferencial na segurança operacional dos produtos, impulsionado pela iniciativa do próprio fabricante. Com a autorização, os modelos aprovados podem operar sob um Certificado de Aeronavegabilidade Especial para RPA (CAER), que requer uma declaração de conformidade do fabricante para cada número de série do equipamento. Essa declaração será gerada diretamente no Sistema de Aeronaves Não Tripuladas (SISANT).


Dessa maneira, o fabricante e os representantes legais têm a capacidade de monitorar a frota, possibilitando uma avaliação mais ágil para a implementação de melhorias operacionais nos drones.


Com informações e imagens da ANAC e MundoGeo

39 visualizações0 comentário
bottom of page