top of page
  • Foto do escritorMaqnelson John Deere

Da lavoura ao açúcar: como ocorre a industrialização da cana-de-açúcar?



Sabemos que há muita coisa envolvida na produção da cana-de-açúcar. Desde o plantio até a colheita, muitos manejos são necessários para uma produção satisfatória em quantidade e qualidade. E ainda depois que sai da lavoura, há um grande processo até que a cana-de-açúcar seja transformada em açúcar, álcool, cachaça e tantos outros produtos. Quer conhecer como ocorre este processo? Continue sua leitura e saiba detalhes da etapa de industrialização da cana-de-açúcar.

Durante todo o ciclo da cultura, vários são os aspectos que precisam de atenção. E a partir do processo da colheita, antes de pensar na industrialização propriamente dita, a logística é um ponto que também precisa ser planejado criteriosamente. Afinal, os sistemas logísticos são fundamentais para melhorar a eficiência operacional das usinas de cana-de-açúcar. É preciso um alinhamento que coordene os processos de corte, carregamento e transporte de cana do campo até a indústria, de maneira a suprir adequadamente a demanda necessária.

E ao chegar na indústria, o que acontece com essa cana?

Com a chegada da cana na indústria, ela pode originar vários produtos. E os dois principais produtos oriundos da cana-de-açúcar são o açúcar e o álcool . E, em ambos os casos, o processamento é bastante similar. Vejamos o que acontece em cada seção de processamento da cana-de-açúcar:

Recepção:

Após a colheita e chegada na indústria, a cana-de-açúcar é lavada a seco (jatos de ar), para retirar as impurezas. No caso da cana picada, colhida por meio do corte mecanizado, se a cana for lavada, pode haver perdas muito elevadas de sacarose. Por isso, utiliza-se lavagem a seco.

Desfibração:

Após a seleção, ela é transportada por esteiras até o desfibrador, que pulveriza a cana, abrindo suas células para facilitar a extração dos açúcares durante a moagem. Para uma boa eficiência de extração, 82% das células devem estar abertas.

Moagem:

Após as células abertas, a cana já desfibrada segue para a moagem onde será realizada a extração dos açúcares. A extração do caldo da cana consiste no processo físico de separação da fibra (bagaço), sendo feito, fundamentalmente, por meio de dois processos: moagem ou difusão.

Na extração por moagem, que é a mais comum, a separação é feita por pressão mecânica dos rolos da moenda sobre o colchão de cana desfibrada. A moenda deve extrair o caldo, como também produzir bagaço, no final do processo, com um grau de umidade que permita sua utilização como combustível nas caldeiras.

Estocagem do bagaço:

O bagaço resultante da moagem da cana é encaminhado para as caldeiras (a vapor) por meio de esteiras. Em geral, ele é composto de 46% de fibras, 50% de água e 4% de sólidos dissolvidos. De uma tonelada de cana podem surgir cerca de 300 kg de bagaço. E ele é o único combustível utilizado nas caldeiras a vapor, gerando toda energia necessária ao processamento de cana.

Tratamento do caldo:

Quando sai do processo de extração, o caldo extraído da cana vem com impurezas. Estas devem ser eliminadas em sua maior parte, por método físico e químico, garantindo os padrões de qualidade tanto para a produção de açúcar, como de álcool ou cachaça (destilarias).

Etapas seguintes da fabricação do açúcar:

Na fabricação do açúcar, é obrigatória ainda a etapa de sulfitação, que tem o papel de inibir reações que causam formação de cor indesejável, coagulação de coloides solúveis, e formação do precipitado sulfito de cálcio.

Na produção do açúcar, a próxima etapa é a evaporação do caldo , onde ocorre a evaporação da água em processo de múltiplo efeito. O xarope resultante é bombeado para os tachos de cozimento para a cristalização do açúcar.

O cozimento é feito em duas etapas, sendo que na primeira ainda ocorre a evaporação da água do xarope para a cristalização da sacarose. Na segunda etapa, ocorre o processo de nucleação, em que são produzidos pequenos cristais de tamanho uniforme.


A separação dos cristais de sacarose do mel é feita por meio de centrifugação, no qual são obtidos dois produtos: o açúcar e o melaço.

O melaço é enviado para a fabricação de álcool, enquanto o açúcar é destinado ao secador para a retirada da umidade contida nos cristais. Após a secagem, o açúcar é levado ao silo para ser ensacado e estocado.

Etapas seguintes na fabricação do álcool:

Como comentamos anteriormente, a produção do álcool e do açúcar tem muitas similaridades. O início do processo é o mesmo, até o processo de moagem e tratamento do caldo. A partir daí, o processo de produção de álcool já possui etapas específicas, como as seguintes:

  • fermentação do caldo;

  • destilação do vinho;

  • retificação;

  • desidratação: álcool anidro ou hidratado.

E além dos produtos amplamente conhecidos, pode-se dizer que da cana-de-açúcar, aproveita-se praticamente tudo. Mesmo os resíduos/subprodutos da indústria podem ser aproveitados como por exemplo o bagaço, a torta de filtro, o melaço e a vinhaça.


Conteúdo: John Deere Conecta

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page